Páginas

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

VELEIRO

Meu veleiro de sonhos
ancorava na calma enseada
do teu ventre todas as vezes
em que eu velejava
no oceano do teu corpo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário