Páginas

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

ODE A MANHÃ

Quando acordei vi
a manhã renascer
no brilho geométrico
dos teus olhos
e por instantes segurei
o silêncio para ouvir
a canção dos pássaros
nas copas dos Ipês.
Olhei pela janela
vi o sol folhear
de ouro o jardim da praça
e no porto o rio que corria
sob a velha ponte mostrava
 seus cardumes para o dia.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário