Páginas

domingo, 1 de fevereiro de 2015

TEMPOS DE MIM


Onde estão os meus pássaros
que chilreavam alegres na varanda
de minha casa iluminados...
pelo sol morno das manhãs plácidas?
Onde estão os meus navios oníricos
que me levavam todas noites
por mares de sonhos da infância
nunca navegados?
As cálidas e divinas mãos de minha mãe
afagando o ar dos meus cabelos
todas as vezes que a insônia me visitava
onde estão?
E os meus barquinhos de papel, ternos,
que eu os fazia velejar na torrente da chuva
em dias de inverno, onde estão?
E ninguém me fala, ninguém me responde.
Então pergunto ao tempo; o que fizeste
com esses tempos de mim ?
Mas o tempo não fala o tempo só nos envelhece.

Ver mais

Um comentário: