sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

A PÁTRIA

Minha pátria não é a língua portuguesa, nem os suntuosos apartamentos da Ponta Negra, onde reside a burguesia manauara e nem as mansões cinematográficas dos jardins da capital paulista. Minha pátria é a lama cinzenta da várzea amazônica onde nasci.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

PÁSSAROS

Ontem na clara manhã de julho vi casais de alegres  sanhaços bebendo sol nas grades do meu terraço.