Páginas

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

POEMA

Abro os braços para o universo
e tocado por sonhos multíplos
colho com minhas mãos em cubas
o orvalho das estrelas
na superfície abstrata do tempo.
A noite descasca a pele das horas
tentando abortar os anos de minha idade
e na complexidade do calendário
já sinto saudade daquilo que ainda
não vivi.

terça-feira, 13 de outubro de 2015

ASAS

Hoje eu queria ter um par
de asas que me permitisse
sobrevoar o mar...
sereno de minha velhice.

TOADA V


A imagem do teu corpo morno e desnudo
descansando neste leito de plumas
na penumbra e em silêncio pleno...
é fotografado pelas retinas dos meus olhos
cavos e obscenos
que prenunciam coitos óticos.

domingo, 11 de outubro de 2015

POÉTICO

As curvas do teu corpo em tempera
e o aspecto luminar dos teus olhos
em harmonia,...
habitam o universo dos meus sonhos
e fantasias.

 

quarta-feira, 7 de outubro de 2015

POEMA CIRCUNSTANCIAL


O sol penetra na minha janela
com seus punhais de fogo,
enquanto vejo um cão sem plumas...
ladrar acintosamente contra o carteiro
que talvez traga noticias de Ju,
súbita a tarde desaba sobre mim
com a força de mil guindastes,
lá fora ouço rumores na porta
vou atender. Não vejo ninguém
apenas um vento desgarrado
a procura de seu rebanho.
Embriagado em silêncio, esmoreço,
e me deixo seduzir pela a maciez
deste sofá com desenhos japoneses
onde me refestelo leio um poema
de Fanny Mota e adormeço.