Páginas

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

CAIS DO SODRÉ

No último instante da tarde
a cidade abraça-se com o rio
(que ama, devota e quer)
Lisboa tem a cara do Tejo
e o Tejo tem a cara do mar
descendo as ladeiras sombrias
a noite avança impetuosa e fria
sobre o Cais do Sodré.

Lisboa/ setembro/2011