Páginas

segunda-feira, 16 de março de 2009

EPIGRAMA ( Para o poeta Affonso Romano de Sant"anna)

Estou diante de um poema de Mário Quintana
um poema lúcido como se ele
estivesse para morrer, diria Pessôa.

Um poema sensivel e belo
como Quintana gostava de tecer.

Estou diante de um poema de Mário Quintana
e exijo silêncio e contemplação
e por favor não me falem em Sarney.

Nenhum comentário:

Postar um comentário