Páginas

quinta-feira, 2 de abril de 2009

SOLIDÃO - A POESIA DE JORGE MORAES

Solidão
companheira tão fria
solidão
companheira tão sem amor
para dar.
A solidão é sempre
como um túnel
escuro e profundo
que por mais luz
que haja
há sempre caminhos a seguir
e bifurcações existentes
e caimos sempre no braço longo
e encostamos a cabeça
e nos deixamos cair sempre
no corpo frio e sem carinho
da inseparável companheira
solidão.

( Jorge Moraes se inicia pelos caminhos da poesia. Mora em Porto Alegre,RS. Publicaremos outros trabalhos de Jorge neste blog).

Nenhum comentário:

Postar um comentário