Páginas

terça-feira, 14 de abril de 2009

REMINISCÊNCIAS

Muitas vezes vi meu pai
sentado na cadeira de embalo
apascentando a vida
sua voz descia os degraus
do silêncio
e falava de pescarias
lagos e rios,
ao lado, contrita, minha mãe
desfiava o tempo
tecendo o seu crochê
e eu menino ouvia as histórias
embevecido.
Estes instantes estão
quilometros de distância
nos meandros da memória.

Nenhum comentário:

Postar um comentário