Páginas

quinta-feira, 2 de abril de 2009

GAIVOTAS




Gaivotas no céu do tempo
riscam a pele do vento
e os teus olhos nesta manhã
são lagos forjados
de amanhecidas luas
paisagem da memória
crestada de incertezas.

E o resto é apenas
residuo de brisas mansas
no contraponto do dia
onde gaivotas no céu do tempo
riscam mapas de esperança.

Nenhum comentário:

Postar um comentário