sábado, 7 de novembro de 2009

ODE MINÍMA

As palavras
revelam segredos
da tarde
que não resiste
ao assédio
do crêpusculo
( o tédio das ruas
assume seus ludíbrios)
e em pouco espaço
( réstia de tempo)
as cinzas das horas
cristalizam as sombras
da noite.

Um comentário:

A MULHER DO SONHO

Eu a vi. Era uma mulher andando no meu sonho vestida de sol e caminhava pisando em musgos e liquens encrustados nas pedras do caminho. Le...