Páginas

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

FUGA PARA FLAUTA DOCE

O cio terno das palavras
perfura o ócio do silêncio
e a noite descobre
seus encantos
no litoral dos teus lábios,
e antes que chegue a madrugada
com suas falésias de frio e orvalho
quero deixar tatuados
na paisagem morena
do teu corpo vestígios
das minhas mãos
( misto de gestos e crença),
apascentando insone
na penumbra da alcova sedosa,
tua presença.

2 comentários:

  1. Ola Julio,

    parabéns pela inteligência e habilidade com que tratas as palavras.

    deixo aqui minha admiração
    abraços

    ResponderExcluir
  2. Gian muito obrigado pelos comentários, eles são muitos importantes para esse pobre poeta, faiscador de palavras.Grato por seguir em blog.Sua presença nele só o qualifica. Abraços.

    ResponderExcluir