sábado, 24 de outubro de 2009

POEMA A GAGARIN

O foguete partiu
e rasgou os limites
da angústia
e o cosmonauta
transvertido em Deus
ante o olhar
atônito da rua
beijou a boca
bêbada da lua.

Farias de Carvalho

Um comentário:

  1. Vim, por indicação de Nydia e já encontro, de início, estes versos doidamente belos.
    Nydia, a grande poeta, só poderia nos dar de presente, outros e grandes versos de um poeta também grandioso.
    Voltarei.

    beijos

    ResponderExcluir

DE SOMBRAS E TEMPO

Essas sombras margeando as trilhas dessas galaxias subterrâneas, as horas limando as moléculas do tempo deprimem o instante seminal enqua...