Páginas

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

NYDIANAS

No interior do quarto
o relógio quebra
a harmonia do descanso
e as horas oxidam
as engrenagens
do tempo.
Lá fora o sol
espalha escamas
de fogo
nos labirintos
da cidade.

3 comentários:

  1. Como são lentas estas horas oxidadas... E hoje nem sequer há lua. Mas há poesia. E ela nos salva.

    Beijo, Julio.

    ResponderExcluir
  2. Lindo!

    Oxidar as engrenagens do tempo!!
    Todo o poema num ritmo de relógio!

    Muito bom!

    Abraços

    Mirse

    ResponderExcluir
  3. Obrigado,Mirse por seguir este blog que tem o único objetivo: o de construir e divulgar a poesia verdadeira, clara sem o hermetismo intelectual dos modernistas radicais e com linguagem ao alcance de todas as classes sociais.Beijão querida do tamanho do Rio Amazonas.

    ResponderExcluir