Páginas

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

DE MIM

O melhor de mim
ficou nos degraus
da infância
na idade adulta
os empecilhos
frustraram
meus planos
sobraram
residuos
de uma
canção
de ninar
e o tempo
enrugando
minha pele.

4 comentários:

  1. Tenho exercitado minha existência toda vez que leio seus poemas, caro poeta. Além da beleza das palavras, a profundidade das lembranças e a razão das coisas que ficaram no tempo. Grande abraço, Júlio.

    ResponderExcluir
  2. Nos degraus da infância, quando se tem, vive-se os melhores momentos. O tempo, como sempre é o senhor da razão!

    MUITO BOM!

    Parabéns, Júlio!

    Beijos

    Mirze

    ResponderExcluir
  3. E que a criança que te habita siga nos versando mais e mais.

    Que belo poema, conteúdo e forma, Júlio. Muito bom.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Pensei por muito tempo, que este fosse um sentimento só meu Julio. Independente do que tenhamos feito das nossas vidas, este me parece ser um sentimento comum. Em que canto da estrada, o melhor de nós se perdeu...? bjos.

    ResponderExcluir