quarta-feira, 14 de abril de 2010

POESIA MARGINAL( para Aldisio Filgueiras)


AULA DE POLÍTICA



Alunos a politica

é uma invenção

dos demônios

razão de Deus

andar distante

de nós esses

últimos tempos.


("um dois e três

aquele político

que tiver coragem

de se olhar no espelho

será aclamado rei")

4 comentários:

  1. Caro Júlio,
    O mais triste em assistir o cenário político de hoje, de sempre, talvez, é ver que os políticos têm, sim, coragem de se olhar nos espelhos mais diversos, se acharem reis e ainda se atribuírem méritos, por mais podres que sejam.
    Grande abraço,

    Ivan Bueno
    blog: Empirismo Vernacular
    www.eng-ivanbueno.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. A posição de destaque sempre gera soberba, empáfia
    e podem fazer asneiras e falar o que bem entendem, mesmo ridículos são aclamados por aqueles sem discernimento. O povo não tem discernimento de mais nada, pois a massa não tem embasamento nem familiar, nem educação, como pode o povo contestar ou escolher? Aí o endeusamento , uma aberração à ética.
    Muito bom, ocasião propícia para escrever sobre politica...
    abs

    ResponderExcluir
  3. Hey Poeta!!!

    Há quem confuda transparência com invisibilidade e ai, haja cor, haja CORaragem para sustentar tantas palavras malditas... enquanto isso, a Poesia sabe que entre metáforas e deslocamentos, está o poder da palavra que transforma, simplesmente pelo desejo de existir, de viver com e... seguimos!

    Um beijo amigo e companheiro.

    Carmen Silvia Presotto

    ResponderExcluir
  4. Grande, Julio!

    Poetar para os comuns já é uma festa, imagine para o Aldísio.

    De prima.

    Conheci Aldísio em Manaus quando ainda era casado com Lilian, minha prima.

    Valeu!

    ResponderExcluir

PÁSSAROS

Ontem na clara manhã de julho vi casais de alegres  sanhaços bebendo sol nas grades do meu terraço.