Páginas

terça-feira, 20 de abril de 2010

JERICOACOARA BLUES


A pedra furada furou o acetinado
da paisagem marinha onde o mar
na sua constante exasperação
conduz ( rebelde) milhares de conchas
sacudidas de espumas e sal
para plenamente ataviar a praia,
e um vento arisco atiça solene
as cabeleiras arenosas
de dunas e falésias enquanto o sol
da tarde de Jericoacoara desmaia.



(Jericoacoara-Ce,abril/2010)



6 comentários:

  1. Talvez o acetinado azul tenha furado a pedra... Lindo, Júlio. Bjo.

    ResponderExcluir
  2. sim e sigo, Poetas...furado a pedra para se embalar entre espumas e sal e maritimamente chegar até nossos entardeceres.

    Um beijo amigo e companheiro.

    Carmen Silvia Presotto

    ResponderExcluir
  3. ...também furou o céu azul!

    Lindíssimo poema!

    ResponderExcluir
  4. Num cenário desses a inspiração deve se incorporar mais fácil. Não conheço o Ceará! Pena. Mas conhecerei. A pedra de Jericoacara teve bom tributo. O que ela furou, fura ou o que a furou, ah, isto é o que fomenta a poesia.
    Abraços, Julio.

    Ivan Bueno
    blog: Empirismo Vernacular
    link: www.eng-ivanbueno.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Lindas imagens que vêm das tuas letras, Julio.
    Incrível a poesia do entardecer traduzida por você. Deu vontade de presenciar o desmaiar do sol em Jericoacoara.

    Beijoca

    ResponderExcluir
  6. Deslumbrante!!!

    Eu tenho verdadeira paixão por este lugar...

    beijos meus

    ResponderExcluir