Páginas

terça-feira, 12 de maio de 2009

OCASO SOBRE CAMPINAS

O sol se põe sobre o viaduto Cury,
raios languidos e tépidos
amornam as vértebras da tarde
que caminha para o suicídio
das horas.
A cidade abre o seu ventre
para receber o bafejo
da noite que avança
( com sua vestimenta de mêdo)
sobre a Vila Industrial
e promete mistérios.
Na Avenida Prestes Maia
edifícios sofridos de poluição
guardam no limo
de seus antigos calendários
vestígios de um tempo
que nunca vivi.
No Terminal Central
o caos se instala:
vidas vão
vida vem
vidas vão e vem
cada uma levando
sua cruz
e atravessam a pátina
do crepúsculo.
Lá para os lados de Viracopos
( ninho de aviões)
um pássaro solitário
( com asas de nevoa)
desce os degraus do vento
e corta o ar da tarde
relembrando antigos
ocasos esquecidos.
Enfim a tarde capitula
definitivo o sol desce
e essa saudade de Campinas
me anoitece.

( Este poema publiquei no site Overmundo e foi dedicado a grande poeta paulistana Cintia Thome).

9 comentários:

  1. A maravilhosa Cintia Thomé merece mesmo belos poemas como este. Agora sou admirador dos dois...
    Abraços do
    Guilheme de Faria

    ResponderExcluir
  2. Cintia merece todas as homenagens, Julio. Campinas também. Cidade que escolhi como minha.
    E este poema sempre me emociona, pois me faz lembrar dos meus ocasos esquecidos...
    Beijoos, Cintia e Julio!

    ResponderExcluir
  3. Sempre bom ler um poema para uma cidade e em homenagem a uma mulher.
    Se a mulher é poeta e se o poeta conhece as sendas das letras e as vielas da cidade, comoé o caso bem demonstrado...
    A mulher poeta e os demais que lemos, agradados ficamos. Agradecemos.

    ResponderExcluir
  4. A "nossa" Cintia, querida por muitos, poetisa de extrema sensibilidade, é merecedora de tão nobre dedicatória, com esta poesia de igual sensibilidade...

    Excelente,caro Julio..e Campinas ao entardecer é magnífica mesmo...

    ResponderExcluir
  5. Cintia, grande amiga poetisa e merecedora de não só essa, mas várias homenagens à sensibilidade, lealdade, cumplicidade e sentido real de amizade.
    Parabéns Julio!
    Parabéns Cintia!

    Bjaum enorme

    ResponderExcluir
  6. Bela homenagem Cintia-Diva merece

    Aliás, fiz Diva pra ela

    ResponderExcluir
  7. Julio,
    maravilhoso poema
    A Querida Cintia merece e vc
    nos engrandece com suas homenagens
    bjs
    Doroni

    ResponderExcluir
  8. Cintia é uma das mais expressivas representantes da poesia contemporânea.Merece os melhores comentários sobre sua arte.Orgulho-me de ser amigo de todos vcs.Joe Brazuca obrigado por seguir este blog, este meu canto terá mais luz com sua presença.

    ResponderExcluir
  9. Querido Julio


    Deixei que muitos postassem seus comentários , andei avisando alguns, até porque a emoção foi forte e ando sem palavras, talvez uma fase 'em branco', de resguardo para que eu volte com as palavras mais fortes do que eu neste momento de fraqueza interior já algum tempinho.
    Mas posso dizer que muito me orgulha ser Poema pra você, num momento que estavas a visitar a Campinas das Andorinhas e nunca me viu, mas tenho estoria neste lugar que nasci, amei, fui embora, voltei e sempre vou..voo como Andorinha pelas palmeiras imperiais, pelo meu colégio normalista, pelo cambuí, flamboyans e paineiras...pelo meu querido Instituto Agronomico que me acolheu com amor e eu por ele...Meus namoros, minhas amigas, meus lugaes, minhas risadas, as partidas...meu choro...
    Bem nada mais lindo do que vc ter tido essa inspiação sobre essa terra de Carlos Gomes e Guiomar Novaes e de gandes fazedores de literatura, cultura...
    E fico eternamente agradecida em estar ao lado de mestres que voce reverencia com lastro, maestria só sua Amigo

    Emocionada. Obrigados aos amigos
    Voltarei a escrever versos curtos, léxicos...ou estórias em poesia de meus amores, dores e vida breve...

    Deus te eleve

    ResponderExcluir