Páginas

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

OS OLHOS DA PUTA


Os olhos da puta
são triste e verdes.
A maquiagem pesada
dá-lhe aspecto
de atriz do kabuki.
Como é despojada,
os seios pontiagudos
parecem querer
furar a seda
da camisola.
Retem entre suas
pernas um abísmo
de inspirações eróticas
ardendo como vulcão.
Os olhos da puta
são verdes e tristes
mesmo sorrindo
nos gozôs da noite veloz.

4 comentários:

  1. Quando a poesia captura momentos, nos deparamos com estes triste olhos tristes de difícil gozo.

    Um beijo amigo, Júlio. Obrigada por tua leitura em Vidráguas. Teu olhar é testemunho e fôlego de seguir...

    Carmen Silvia Presotto

    ResponderExcluir
  2. Sensualmente lindo!
    O verde, os olhos, a tristeza revelada...

    Beijos =)

    ResponderExcluir
  3. Poema que arde
    e transfigura-se
    também em cântico.

    forte abraço,
    meu camarada.

    ResponderExcluir
  4. Olá Julio

    Estou aqui devorando seu Blog; fantástico!!!
    Grata pelo prazer de estar aqui. Realmente vc
    fala a minha língua.

    abraços; estarei sempre por perto

    Lúcia Gönczy

    ResponderExcluir