Páginas

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

PINTURA ACRILICA


Na sala vazia
o tempo veste de silêncio
as horas
e a flauta dos pássaros
expulsa a solidão
do alpendre.

10 comentários:

  1. E junto ao teu poema voamos...uma tela ao que te leem.

    Um beijo e te ler amplia o meu olhar.

    ResponderExcluir
  2. E as minhas asas se abrem para se perder de vez do chão. Bacio

    ResponderExcluir
  3. Júlio, obrigada pela tua visita e leitura lá no poema Anáguas-Vidráguas...muito bom, quando nossos versos atingem o coração de alguém, isso nos motiva a seguir mais e mais.

    Um beijo amigo e feliz 2011!!!

    ResponderExcluir
  4. Julio, Concretos&Abstratos mudou para http://peloapelodapena.blogspot.com (coisas do ano novo).
    Como sou analfabyte, mudei sem querer o link para o “concretos”. Me link again.
    Beijos, Sidnei
    (Um ano novíssimo cheio de saúde e poesia)

    ResponderExcluir
  5. Lindo poema.
    Silêncio povoado da partitura dos pássaros!

    abç

    Betha

    ResponderExcluir
  6. Não sou poeta, mas gosto de poesia, especialmente a poesia sensual. Gosto da poesia onde as palavras são sentimentos. Como não sou poeta, me considero divulgadora. Mostro a quem me visita, os poetas maravilhosos que encontro pelo meu caminho...

    Feliz Ano Novo e aparece no meu cantinho!!!!

    O TOQUE DE MIDAS
    http://rosarinho12.blogspot.com/

    Céu Rosário

    ResponderExcluir
  7. Hey gostei do termo de Sidnei:analfabyte!

    O artista é sempre um inovador, por isso erra concretamente, hehehe.

    Beijos.

    ResponderExcluir