sábado, 6 de novembro de 2010

NATUREZA VIVA


O velho vaso de flor sobre a mesa*
na cadeira de embalo auscultando
o tempo
meu avô urdi silêncios
enquanto na sala as mão calidas
de minha avó, ageis,
tecem a trama da vida
no seu tricô.
* o primeiro verso é de Nydia Bonetti.

2 comentários:

  1. Tão bom quando um poema leva a outro... Maravilhosos - poema, imagem e título. Você sempre emociona, Julio. Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Sim, os versos embalam, conVersam... muito bom!

    um beijo

    ResponderExcluir

PÁSSAROS

Ontem na clara manhã de julho vi casais de alegres  sanhaços bebendo sol nas grades do meu terraço.