Páginas

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

LIÇÕES DE CARMEM PRESOTTO



Dois poemas de Carmem Presotto
( alvos de manhãs e luzes)
penetram nas fímbrias do outono desfolhado
enquanto os ventos, em redemoinhos)
sopram as folhas maceradas e caidas
que encarpetam o solo adusto da tarde.
Os versos da poeta inventam lagoas de sol
onde pássaros nômades e inquietos
vêm beber a força de seus vôos
para o recomeço de novos amanhãs.
E eu, absorto e embevecido,
debruçado na linha do horizonte
bebo na concha da tarde coplas
de sentimentos, paz, amor e poesia.

2 comentários:

  1. Júlio Querido, tão bom me ver em teus versos, colher teus sentimentos me alegra, me deixa feliz e desejante de Poesia sempre.

    Um beijo grande, amigo e companheiro.

    ResponderExcluir
  2. Um beijo e já está em Vidráguas!!! Gracias, meu querido Amigo!!!

    ResponderExcluir