Páginas

terça-feira, 16 de novembro de 2010

PAISAGEM NOTURNA


A lua salpica de prata
as vestes talares da noite,
uma chuva fina e teimosa
açula os germes da angústia
numeral que edifica castelos
de silêncios nos dominios
deste quarto frio e insone.
Nas ruas o caos explode
em delírios na contra-mão
do tempo que modela
o barro das horas
enquanto lá em cima
( num céu acetinado )
a via-láctea se esparrama
entre pó e nevoa.

2 comentários:

  1. Tuas paisagens são insuperáveis, Julio. Simplesmente belo. Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Júlio, me deito sobre tua paisagem e me reenconto a tua Lua para seguir sonhando.

    Um beijo e parabéns!

    Carmen.

    ResponderExcluir