segunda-feira, 7 de maio de 2018

DIA DAS MÃES

Mães não têm dias. Todos os dias são dias de mães. Ao menos para mim. Todos os dias me lembro de minha mãe, dos seus gestos contidos e de sua larga sabedoria de vida, de seus conselhos e principalmente de suas mãos. As mãos de minha mãe era divinas, sentia toda maciez delas quando alisava o ar dos meus cabelos. Mulher altiva que enfrentou toda sorte de adversidades vivendo em lugares inóspitos dessa Amazônia bela e agressiva. Sendo uma mulher branca e carregada de amor pelo meu pai, um homem negro, esbofeteou a cara dos preconceituosos e amou muito meu pai. Uma tarde de junho, já quase crepúsculo, chegaram em nossa casa, dois anjos e nos disseram: Sentimos muito, mas Deus precisa dela! E a levaram aos ares celestes. Hoje ela é agricultora. Semeia amor e colhe ternuras nas lavouras divinas dos campos sagrados do Senhor. Mesmo sabendo que este dia foi inventado pelo mercantilismo ganancioso, Feliz Dia das Mães, ESTEFÂNIA!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

A MULHER DO SONHO

Eu a vi. Era uma mulher andando no meu sonho vestida de sol e caminhava pisando em musgos e liquens encrustados nas pedras do caminho. Le...