sábado, 6 de agosto de 2011

ALZHEIMER




No silêncio da cadeira
com as mãos cobrindo
o rosto sombrio e enrugado
( imerso no bojo de sua solidão)
um velho monologa
com seu passado.

3 comentários:

  1. Hey, tudo bem? Que a solidão saia porta a fora e que a poesia traga muita companhia...beijos, beijos e desejo de uma ótima semana.

    Carmen.

    ResponderExcluir
  2. ... E o passado diz tanto!

    Poema de verdades(incontestáveis).

    abraços

    Lu Cavichioli

    ResponderExcluir
  3. Um poema que me toca muito particularmente... a minha mãe tem uma Angiopatia Amiloide. Sofro com ela.
    Um beijo Julio.

    ResponderExcluir

PÁSSAROS

Ontem na clara manhã de julho vi casais de alegres  sanhaços bebendo sol nas grades do meu terraço.