Páginas

domingo, 13 de novembro de 2016

PEQUENA PROSA POÉTICA DE PARTIDA


Quando partiste numa tarde grisalha de outono, levaste contigo tua pele onde, em noites de luas e estrelas, o meu silêncio pastava livremente. Na memória levaste a caligrafia de minhas mãos na superfície cálida e túmida dos teus seios e um breve poema tatuado na planície de tuas coxas. Guardo ainda, no meu coração, entre sístoles e diástoles, as cavalgadas que empreendemos pelas noites de amor tórrido sem restrições e pecados. Tudo isso levaste. E deixaste finalmente, em mim. um coração sangrando.

Nenhum comentário:

Postar um comentário