Páginas

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

O CÃO DO MEU VIZINHO


O cão do meu vizinho latiu
a noite toda e seu latido
em dó maior ecoava
pelo útero da casa
não me deixando dormir.
Fui á internet e li
um poema de Carmem Pressoto
e dois de Nydia Bonetti
mas a insônia não me deu
trégua,
quando amanheceu
abri a janela e vi
(extasiado)
o sol rompendo
o hímen da manhã
numa explosão
de vida e encanto
cobrindo de cores e luzes
o céu pleno de verão.

4 comentários:

  1. Alvorece e reverdece e que bom estar em tua insônia companhia, no útero da noite a criação jorra.

    Um beijo amigo Júlio, que bom ser cantada em teu versos. Seguimos e já visitei teu novo blog, um luxo. Parabéns.

    Carmen.

    ResponderExcluir
  2. O cão latindo e interrompendo o descanso, valeu por ler Nydia Bonetti e Carmem Presoto.

    O alvorecer é lindo mesmo.

    Abraços

    Mirze

    ResponderExcluir
  3. Julio, sabe que também não dormi nesta mesma noite?! Tudo que me consola nessas noites insones, cada vez mais frequentes, é ler poesia. A tua, da Carmen, da Lara, da Mirse... Beijos.

    ResponderExcluir