Páginas

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

CANTIGA DE ESPERAR

Esperar que a manhã renasça
dos escombros e das cinzas da noite
e que os ventos com suas cirandas aéreas
varram o outono desfolhado
e que o sol com suas lâminas de fogo e luz
acalente os jardins sombreados
para que não haja holocausto de bromélias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário